Cadeiras do Orgulho. Mais de 30 milhões de reais em mídia espontânea; aumento de 2.000% na base de currículos; mais de 30 empresas aderiram ao programa.

Exposição de Bolso. Um formato que revoluciona a forma das pessoas irem ao museu: basta entrar no WhatsApp.

Black Friday Ponto. O dono da Black Toda num storytelling divertido e poderoso para todas as plataformas.

Onde começa a novela e onde começam os breaks? Casa de Novela Casas Bahia. Case ganhador de um Effie.

Pra tudo que a vida pede, um novo conceito de marca numa campanha 360.

CB no Masked Singer. O CB chegou no metaverso da Globo.

O novo influenciador digital da Casas Bahia foi lançando num storytelling que trouxe alto engajamento.

Uma ideia que movimentou diversas áreas da empresa para acabar com este estereótipo.

A evolução do hit “Ela tá Podendo” + formato TikTok fez da Casas Bahia a marca mais lembrada da BF. Criação baseada em dados para juntar os ritmos mais ouvidos no Brasil.

Chama no Zap surgiu para resolver o problema das lojas fechadas, na pandemia. Mas fez tanto sucesso que se tornou um canal permanente.

Black Friday + Kondzilla + formatos inéditos = engajamento e 3.3bb em vendas.

Campanha/Experiência que teve start numa ação de OOH: um abrigo de ônibus que também era karaokê.

Precisava sim de um case de segmentação no YouTube.

O maior leilão virtual parou a internet.

Lançamento do Casas Bahia Play, um serviço gratuito disponível dentro do app da marca.

Casas Bahia e Emicida perguntam: Do que é feito o Natal?

Vídeo ou meme? Meme ou vídeo? Linguagem nativa para gerar engajamento. Vencedor do Meme Awards.

Masthead que aumentou em 15% o número de inscritos no canal da marca, no YT.

Histórias reais em mini-web DOCs.

Uma campanha que foi notícia nos jornais argentinos.

Ação digital de cupons que trouxe grande engajamento durante o Dia do Consumidor.

Uma tensão que vale a pena ser discutida no Natal. Mais de 23mm de usuários únicos, só no YT. Só pela trilha já vale o play: Stand by me.

Saudades.

O bordão “Ih, complicou!” veio para dar força ao novo conceito da marca.

O formato quebrou a regra do “vídeo do YouTube tem que ser curto”. Cada programa teve 8 minutos de duração, e mais de 90% dos internautas viram mais de 75% de cada vídeo.

Na Black Friday, o maior cross de garotos propaganda de todos os tempos.

Cabine de áudio.

Uma música de Natal se espalha.

A virada que faltava em São Paulo.

Não poderia haver personagem melhor para a promoção do milhão.

Os primeiros velhinhos digitais da propaganda.

(Eu tenho apego por esse comercial. Meu primeiro prêmio, no Anuário de Criação).